Existem diversos fatores que contribuem para o desgaste de uma relação: o excesso de trabalho, a preocupação com os filhos e a ansiedade de um dos parceiros são apenas alguns exemplos de problemas que desarmonizam o companheirismo, provocando desinteresse e até separações.

Neste contexto, entra a importância de uma prática que possa nutrir o relacionamento, acalmando a mente, equilibrando as emoções e fortalecendo o amor que um sente pelo outro. Assim, o casal cresce junto, e os desafios do dia a dia ficam mais fáceis de ser enfrentados.

No post de hoje, vamos contar com a ajuda da terapeuta Amanda Schultz para entender como a meditação pode aumentar a sintonia de um relacionamento amoroso. Vamos lá!

Como funciona a meditação em conjunto?

Ao contrário do que muita gente pensa, a meditação não precisa ser solitária. Embora essa seja a imagem mais comum que temos da prática, é possível compartilhar os benefícios obtidos com ela por meio da mudança de foco.

Isso significa que, na meditação individual, o praticante busca se centrar em sua própria respiração, em uma conexão consigo mesmo; enquanto, na meditação entre casais, o foco deve estar na ligação entre os dois.

Segundo Amanda, a meditação em casal consiste em olhar para o “eu” interior do outro, e não apenas o seu. O objetivo é “ver o parceiro por trás dos hábitos, personalidade, qualidades e defeitos e, assim, entrar em conexão com a essência da pessoa”, explica.

Parece complicado, mas o segredo está na simplicidade: muitas vezes, sentar-se de frente para o(a) parceiro(a) em silêncio, enquanto segura suas mãos e respira com calma, já é suficiente para interromper a correria do dia a dia e voltar a sua consciência para os sentimentos do outro.

Amanda diz que o casal pode meditar de diversas formas: “Cada um pode fazer sua prática de meditação diária lado a lado, apoiando um ao outro e estabelecendo uma rotina (o que ajuda a manter a disciplina e a constância, que são essenciais) e meditar com visualizações, como imaginar que está emanando uma energia cor-de-rosa (representando o amor) para o parceiro ou mentalizar que seus corações estão entrando em sintonia. Tudo isso ajuda a manter a harmonia na relação“.

Ela ainda explica que carinhos e trocas de olhares também podem ser práticas de meditação, desde que feitos com uma completa entrega e atenção ao momento presente. “Isso desperta o amor incondicional na relação, ou seja, a total aceitação e cuidado com o outro, fazendo da relação uma ponte para uma conexão com o divino”, diz Amanda.

Geralmente, o maior desafio no momento está na teimosia da mente em se ocupar com distrações, como pensamentos relativos ao passado ou futuro. Quando isso acontecer, procure apenas voltar a atenção para a própria respiração ou mentalização que estiver executando, sem se reprimir pelo acontecido.

Como a meditação influencia o relacionamento amoroso?

Em primeiro lugar, é necessário entender que, para desenvolver relacionamentos saudáveis e harmoniosos, é preciso que cada um de seus membros esteja em paz consigo mesmo. A constância da meditação é importante para esse desenvolvimento da autoestima e do autoconhecimento, melhorando o bem-estar pessoal e facilitando as relações interpessoais em geral.

Além disso, a meditação em casal pode equilibrar a relação nos momentos de maior tensão, pois acalma os ânimos, trazendo mais clareza mental e permitindo que conflitos sejam resolvidos com maior tranquilidade. Ela também traz uma sintonia entre os dois que previne conflitos e proporciona mais leveza para a relação.

Segundo Amanda, uma prática interessante para o casal é, pelo menos uma vez ao dia, passar alguns minutos entrando em sintonia, “seja por meio de um abraço, olhando nos olhos um do outro, fazendo alguma visualização de amor ou colocando a mão sobre o coração do parceiro. Algum momento formal de atenção, meditação, para que a relação seja todos os dias nutrida e o casal se mantenha harmonizado” explica.

Por que meditar juntos?

A meditação em casal pode promover diversos benefícios para o seu relacionamento amoroso, além daqueles que já são obtidos com a prática individual. Os principais deles são:

Maior resiliência para os momentos difíceis

Todo relacionamento tem seus altos e baixos, e no meio de tantas mudanças, pode ser difícil entender como a mente está funcionando ou quais sentimentos estão sendo experienciados em cada momento. No meio de uma discussão ou briga, por exemplo, é comum dizer coisas que, mais tarde, provocam arrependimentos.

Isso acontece porque, nos momentos de tensão, vários sentimentos aparecem de forma tão intensa, que podem gerar pensamentos equivocados. O resultado está naquelas ações e decisões impulsivas que tomamos sem realmente entender o que está acontecendo.

A meditação atua nesse contexto como uma ferramenta de desenvolvimento. Ela ajuda o praticante a ganhar uma percepção maior sobre si mesmo. Por isso, quando seus pensamentos estiverem a mil, ele ainda vai ter a real consciência de todos os sentimentos e ações daquele momento.

Melhora da sintonia sexual

Ao meditar, a mente aprende a abraçar as sensações físicas ao máximo, o que também é vital para uma boa experiência sexual. Isso acontece porque, ao se voltar para dentro de si mesmo, o corpo fica mais receptivo aos sentimentos que experiencia por dentro e por fora.

Outra vantagem da meditação para o relacionamento amoroso é que a prática ensina a viver no momento presente, algo vital para amenizar a ansiedade. Em uma sociedade tão voltada para o alcance de metas, é comum se preocupar demais apenas com o cumprimento de um objetivo, em vez de relaxar a mente e focar o processo necessário para realizá-lo. Com o sexo, não é diferente.

Nessas horas, viver apenas o momento presente faz uma grande diferença, pois o corpo aceitará o deleite de cada instante. O problema é que, normalmente, essa é uma tarefa difícil, pois a mente encontra muitas distrações com que se preocupar. Felizmente, a meditação pode contribuir para afastar esses tipos de pensamento e redirecionar o foco.

Maior equilíbrio e empatia

Com a prática constante da meditação, você será ensinado a observar seus sentimentos e pensamentos, sem classificá-los como “bons” ou “ruins”. A partir dessa tarefa, uma grande transformação pode acontecer, já que você será capaz de sentir sem julgar.

Essa mudança nos torna mais compreensivos e aumenta a empatia. Os reflexos disso para um relacionamento amoroso não poderiam ser melhores, pois é gerado um estímulo à paciência e à tolerância, equilibrando a conexão entre o casal.

Se um dos parceiros não estiver aberto à meditação, é possível fazer as práticas sozinho, imaginando o parceiro à sua frente. “De alguma forma, ele vai ser influenciado pela energia que foi gerada na meditação e o casal será beneficiado”, explica Amanda.

Gostou do post? Com o Zen App, é possível encontrar meditações guiadas para casais e outras práticas que podem melhorar bastante o seu relacionamento amoroso! Baixe o aplicativo e curta seus conteúdos de forma gratuita por 7 dias!