A prática do autoconhecimento permite que nós tomemos consciência da nossa real essência, das nossas verdades e de crenças que, de alguma forma, possam estar limitadas dentro de nós. Eu mesmo achava que me conhecia e descobri que não. Havia muitos pontos dentro de mim que só me permiti enxergar depois de adotar um novo estilo de vida.

Você precisa praticar o autoconhecimento?

Eu tinha ações e pensamentos que até então considerava normais, como, por exemplo, valorizava mais as competências e habilidades dos outros do que as minhas. Afinal, é preciso se espelhar em alguém que você considera bom para crescer. Engano meu. Mal sabia que estava me sabotando.

Foi aí que descobri que para fortalecer o meu autoconhecimento era preciso praticar. Peguei um caderno e escrevi quatro perguntas:

  1. confio nas habilidades que tenho?
  2. quais são elas?
  3. admiro a pessoa que sou hoje?
  4. quem sou eu agora?

Percebi que não conseguia responder algumas e consegui enxergar o problema: não me conheço verdadeiramente!

Para me ajudar nessa busca do autoconhecimento, conheci pessoas incríveis que me fizeram perceber três sinais de fragilidade até então nunca reparados por mim. Foram eles:

1. A importância da opinião dos outros

Comentários ou críticas sempre me abalaram, mas eu nunca soube que era por falta de autoconhecimento. Quando você não conhece a si mesmo, está mais vulnerável a considerar o que dizem a seu respeito. 

Uma pessoa forte, que tem consciência da sua verdade, não se deixa abalar. Afinal, comentários não podem atingir o seu interior.

2. O medo da solidão

Não conseguia viver bem sozinho e isso era em todos os momentos da vida.

A falta de autoconhecimento impede que vivamos momentos agradáveis com a nossa melhor companhia: nós mesmos. Quem não pratica tem medo da individualidade e acaba se acomodando em relacionamentos que não fazem bem.

3. O julgamento dos próprios erros

Errar é humano. Hoje, eu entendo. Cometia erros que considerava imperdoáveis, pois queria sempre ser o mais perfeito possível. Pasmem, a perfeição não existe!

O ato de não aceitar errar tirava o meu equilíbrio emocional e foi aí que passei a ouvir ainda mais os conteúdos disponíveis no Zen App. Aprendi com técnicas de relaxamento a equilibrar emoções, viver no presente e despertar a minha felicidade.

Depois de despertar a consciência para tudo isso, eu mudei. Posso considerar um alguém que tem total consentimento da suas próprias crenças e verdades. E você, está a fim de mudar também?
O que acha de observar melhoras significativas na sua vida por meio de um aplicativo de celular? Isso mesmo, é possível! Baixe agora o Zen App e confira tudo o que a plataforma pode te oferecer: estabilidade emocional, despertar da felicidade do presente, amor próprio e muito mais!